Ainda não chegaram os exemplares do autor a Portugal,
mas a antologia RUA DA OUTRA RUA já está à venda no Brasil. Veja aqui.


A ARRÁBIDA, O SENHOR DAS CHAGAS 
E A CENTRALIDADE ESPIRITUAL 
DE SESIMBRA


Apresentei no passado dia 24 de Julho, na igreja da Misericórdia de Sesimbra, uma conferência intitulada A Arrábida, o Senhor das Chagas e a Centralidade Espiritual de Sesimbra. Nesse acto de cultura e de culto, tive a honra de ser acompanhado pela dra. Maria Barroso Soares (que declamou poemas de frei Agostinho da Cruz, de Sebastião da Gama e do padre Manuel Marques) e pela cantora Teresa Salgueiro (que cantou uma das elegias do santo frade arrábido e um poema de sua autoria). Encantaram-nos, cativaram-nos, enalteceram-nos e, por isso, o agradecimento que lhes dirigi será sempre insuficiente; só Deus lhes saberá retribuir…
A conferência não teria sido, todavia, o que foi sem os contributos de quem a organizou e a presença de quantos tornaram escassa a centena e meia de lugares disponíveis. Bem hajam, pois, o padre Rodrigo Mendes (verdadeiro motor deste evento e do concerto de Teresa Salgueiro, a 25/7, na renovada fortaleza), a Câmara Municipal e a Santa Casa da Misericórdia. Muito agradeço ainda a presença calorosa do senhor bispo D. Gilberto Canavarro dos Reis, de monsenhor José Lobato e de outros membros do presbitério diocesano (entre eles, os padres Manuel Silva e Luís de Matos Ferreira, de Sesimbra e de Azeitão), dos presidentes da Cáritas e da Fundação Pro Dignitate, dos amigos e colegas de profissão e de investigação, dos sesimbrenses e amigos de Sesimbra e da Arrábida que, mais uma vez, mostraram quanto amam a sua terra e a sua cultura. A sua presença honrou-me e comoveu-me, dizendo que a esperança é possível.








Sesimbra, 24/7/2014, pelas 21h30
na capela da Santa Casa da Misericórdia (largo 5 de Outubro):

A ARRÁBIDA, O SENHOR DAS CHAGAS 
E A CENTRALIDADE ESPIRITUAL DE SESIMBRA
conferência por Ruy Ventura

com leitura de poemas por MARIA BARROSO
e intervenção musical de TERESA SALGUEIRO

Honrar-me-á muito a sua presença.



Separata do novo número da revista "Al-Rihana", 
está pronta a minha nova publicação: 

NOTAS SOBRE A HISTÓRIA 
DA IGREJA PAROQUIAL DE ODESSEIXE.




SUBSCRIÇÃO DE ANTOLOGIA BRASILEIRA DA POESIA DE DE RUY VENTURA

A editora Lumme sediada em São Paulo (Brasil) vai publicar dentro de aproximadamente um mês e meio uma antologia de toda a poesia de Ruy Ventura. A obra terá prefácio de António Carlos Cortez, escritor e crítico de poesia no "Jornal de Letras".
Dado que o livro não terá distribuição em Portugal, virão para o nosso país ainda assim alguns exemplares que podem ser adquiridos através de subscrição. Serão vendidos 35 apenas, dos quais 14 já se encontram reservados. 
Essa venda visa comparticipar os custos de uma parte da edição.
Caso esteja interessado em reservar um dos exemplares remanescentes, poderá fazê-lo manifestando a sua intenção através de um mail dirigido ao autor (ventura.1973@gmail.com); o livro será vendido por cerca de 12 euros; cada subscritor receberá ainda um exemplar de outra colectânea de Ruy Ventura ("Instrumentos de Sopro").
SESIMBRA, 3 DE MAIO DE 2014:

APRESENTAÇÃO DO ENSAIO 
"O EIXO E A ÁRVORE: NOTAS SOBRE A SACRALIZAÇÃO DO TERRITÓRIO ARRÁBIDO"
de Ruy Ventura


[Da esquerda para a direita: Daniel Pires, António Reis Marques, Pedro Martins, Augusto Pólvora, Moisés Espírito Santo, RV e Miguel Real.]


"[...] Moisés Espírito Santo expôs, com a autoridade que se lhe reconhece, as principais linhas de força de O Eixo e a Árvore: notas sobre a sacralização do território arrábido, de Ruy Ventura, mormente a demonstração da centralidade espiritual de Sesimbra na região, e exortou o seu autor a que prossiga e aprofunde o notável trabalho de investigação que vem realizando. Foi essa, de resto, a garantia dada por Ventura, que sublinhou o facto de o dia de ontem ser a data do aniversário de Frei Agostinho da Cruz, e também aquela em que também se completaram 480 anos sobre o aparecimento lendário da imagem do Senhor Jesus das Chagas, e véspera da grandiosa procissão que em sua honra percorreu hoje as ruas de Sesimbra. A observação etnológica deste culto, de uma vitalidade impressionante, foi de resto determinante para a sustentação da tese da axialidade do vale de Sesimbra, sendo irrefutável a suserania centrípeta que as Chagas exercem sobre os demais círios e confrarias da região, da Senhora do Cabo, no Espichel, ao Senhor do Bonfim, de Setúbal. Ventura afirmou sentir-se sesimbrense, e grato para com Sesimbra, apesar de residir em Azeitão -- ou por isso mesmo, por considerar que Azeitão e Arrábida, à margem dos acidentes histórico-administrativos, são incindíveis de um teritório cujo cabeça, no plano espiritual, é a camonina Piscosa."

[Na mesma sessão foi apresentado o livro "Agostinho da Silva em Sesimbra", de António Reis Marques e Pedro Martins, editado pelo Centro de Estudos Bocageanos, de Setúbal.]


"CONTRAMINA"

traduzido para espanhol

e editado na Amargord, editora de Madrid


Palavras de Julia Alonso Diéguez, directora da colecção:

"Hemos puesto también una especial atención en un original diálogo metafísico titulado Contramina, es una obra sorprendente por su formato y estilo, escrito por Ruy Ventura, un joven valor por el que vamos apostar en esta colección. También tendremos el honor de trabajar con Antonio Cándido Franco, cuya obra publicada es numerosa tanto en Portugal como en otros países. Su ensayo Notas sobre el surrealismo en Portugal, resulta sumamente interesante para conocer la impronta de este movimiento en tierras lusitanas."

Vale a pena ler toda a entrevista em:
http://revistadeletras.net/la-proximidad-es-tambien-una-ilusion/


EDMAR GUIMARÃES 
(poeta brasileiro)

sobre CONTRAMINA

(opinião enviada ao autor, em Março de 2014)



[...] Gostei imensamente do Contramina. Há em todas as falas desta obra um instigante diálogo de  pensamentos, adensamentos filosóficos, entrevistos na reapresentação de imagens, de modo sutil ou direto, de um texto para outro. Chamou-me também atenção o jogo entre o real (imagens concretas) e o "irreal" (imagens oníricas), para isso, corroboram personagens tanto do universo da ficção, como personalidades do mundo real. Contramina é um livro forte, belo, faz-nos sentir o espírito dissecado.