DEVIR
revista ibero-americana de cultura

Está em fase de conclusão a DEVIR - REVISTA IBERO-AMERICANA DE CULTURA, publicação editada em Portugal pela Licorne, de Évora, com direcção de Ruy Ventura e Nuno Matos Duarte.
Surge sob o signo de Heraclito e de Agostinho da Silva. De Heraclito porque procura os princípios do pensamento e da criação e todos os lugares onde nos pode levar a razão poética. De Agostinho da Silva porque procura ser um lugar imaterial, onde – com liberdade, audácia e inteireza – se possa exercer, ignorando fronteiras políticas e administrativas, um contrabando de criações e de ideias.
O seu conselho editorial é constituído por António Carlos Cortez (Portugal), António Sáez Delgado (Espanha), Francisco dos Santos (Brasil), José Félix Duque (Portugal), José María Cumbreño (Espanha), Luis Arturo Guichard (México/Espanha), Rui Almeida (Portugal) e Victor Sosa (Uruguai/México).
O primeiro número, a sair por alturas da primavera, terá colaboração de: Álvaro Valverde (Espanha), Amadeu Baptista (Portugal), António Cândido Franco (Portugal), António Carlos Cortez (Portugal), C. Ronald (Brasil), Fernando Aguiar (Portugal), Francisco dos Santos (Brasil), Joana Koehler (Portugal), João Rasteiro (Portugal), Jorge Melícias (Portugal), Jorge Tamargo (Cuba), José Emílio-Nelson (Portugal), José Félix Duque (Portugal), José María Cumbreño (Espanha), Luis Arturo Guichard (México), Manuel Silva-Terra (Portugal), Miguel Real (Portugal), Nuno Matos Duarte (Portugal), Pedro Martins (Portugal), Rui Almeida (Portugal), Ruy Ventura (Portugal), Tiago Gomes (Portugal), Victor Sosa (Uruguai) e Wilmar Silva (Brasil). Antologiam-se poemas catalães de Carles Riba, traduzidos para espanhol por Marta López VilarApresentam-se, ainda, fotografias de David Infante.
PALESTRA SOBRE O RETÁBULO DA ENCARNAÇÃO
DA IGREJA DE SÃO FRANCISCO DE PORTALEGRE
E A SUA AUTORIA


DIA 17 ACONTECE é um programa proposto pela Fundação Robinson, numa lógica de iniciativas de cultura em continuidade que se repetem a cada dia 17, procurando associar um dia do mês a uma programação mensalmente pensada para o Espaço Robinson fomentando a aproximação da comunidade de Portalegre ao projecto de reabilitação e preservação patrimonial em curso.

Desta forma, convidamo-lo a tomar parte no programa do próximo dia 17 de Novembro, Segunda-feira, a partir das 18h00 na Núcleo da Igreja do Convento de São Francisco, na sessão Conversa no Museu dedicada ao tema dapintura retabular, com o Professor e Investigador Ruy Ventura. A conversa e debate girará em torno da autoria da pintura mural existente na Capela da Anunciação da Igreja do Convento de São Francisco.

Contamos com a sua presença, marque o DIA 17 na sua agenda!

RUA DA OUTRA RUA
antologia pessoal

com prefácio de António Carlos Cortez
e edição da Lumme, de São Paulo (Brasil)
2014


Ainda não chegaram os exemplares do autor a Portugal,
mas a antologia RUA DA OUTRA RUA já está à venda no Brasil. Veja aqui.


A ARRÁBIDA, O SENHOR DAS CHAGAS 
E A CENTRALIDADE ESPIRITUAL 
DE SESIMBRA


Apresentei no passado dia 24 de Julho, na igreja da Misericórdia de Sesimbra, uma conferência intitulada A Arrábida, o Senhor das Chagas e a Centralidade Espiritual de Sesimbra. Nesse acto de cultura e de culto, tive a honra de ser acompanhado pela dra. Maria Barroso Soares (que declamou poemas de frei Agostinho da Cruz, de Sebastião da Gama e do padre Manuel Marques) e pela cantora Teresa Salgueiro (que cantou uma das elegias do santo frade arrábido e um poema de sua autoria). Encantaram-nos, cativaram-nos, enalteceram-nos e, por isso, o agradecimento que lhes dirigi será sempre insuficiente; só Deus lhes saberá retribuir…
A conferência não teria sido, todavia, o que foi sem os contributos de quem a organizou e a presença de quantos tornaram escassa a centena e meia de lugares disponíveis. Bem hajam, pois, o padre Rodrigo Mendes (verdadeiro motor deste evento e do concerto de Teresa Salgueiro, a 25/7, na renovada fortaleza), a Câmara Municipal e a Santa Casa da Misericórdia. Muito agradeço ainda a presença calorosa do senhor bispo D. Gilberto Canavarro dos Reis, de monsenhor José Lobato e de outros membros do presbitério diocesano (entre eles, os padres Manuel Silva e Luís de Matos Ferreira, de Sesimbra e de Azeitão), dos presidentes da Cáritas e da Fundação Pro Dignitate, dos amigos e colegas de profissão e de investigação, dos sesimbrenses e amigos de Sesimbra e da Arrábida que, mais uma vez, mostraram quanto amam a sua terra e a sua cultura. A sua presença honrou-me e comoveu-me, dizendo que a esperança é possível.








Sesimbra, 24/7/2014, pelas 21h30
na capela da Santa Casa da Misericórdia (largo 5 de Outubro):

A ARRÁBIDA, O SENHOR DAS CHAGAS 
E A CENTRALIDADE ESPIRITUAL DE SESIMBRA
conferência por Ruy Ventura

com leitura de poemas por MARIA BARROSO
e intervenção musical de TERESA SALGUEIRO

Honrar-me-á muito a sua presença.



Separata do novo número da revista "Al-Rihana", 
está pronta a minha nova publicação: 

NOTAS SOBRE A HISTÓRIA 
DA IGREJA PAROQUIAL DE ODESSEIXE.




SUBSCRIÇÃO DE ANTOLOGIA BRASILEIRA DA POESIA DE DE RUY VENTURA

A editora Lumme sediada em São Paulo (Brasil) vai publicar dentro de aproximadamente um mês e meio uma antologia de toda a poesia de Ruy Ventura. A obra terá prefácio de António Carlos Cortez, escritor e crítico de poesia no "Jornal de Letras".
Dado que o livro não terá distribuição em Portugal, virão para o nosso país ainda assim alguns exemplares que podem ser adquiridos através de subscrição. Serão vendidos 35 apenas, dos quais 14 já se encontram reservados. 
Essa venda visa comparticipar os custos de uma parte da edição.
Caso esteja interessado em reservar um dos exemplares remanescentes, poderá fazê-lo manifestando a sua intenção através de um mail dirigido ao autor (ventura.1973@gmail.com); o livro será vendido por cerca de 12 euros; cada subscritor receberá ainda um exemplar de outra colectânea de Ruy Ventura ("Instrumentos de Sopro").
SESIMBRA, 3 DE MAIO DE 2014:

APRESENTAÇÃO DO ENSAIO 
"O EIXO E A ÁRVORE: NOTAS SOBRE A SACRALIZAÇÃO DO TERRITÓRIO ARRÁBIDO"
de Ruy Ventura


[Da esquerda para a direita: Daniel Pires, António Reis Marques, Pedro Martins, Augusto Pólvora, Moisés Espírito Santo, RV e Miguel Real.]


"[...] Moisés Espírito Santo expôs, com a autoridade que se lhe reconhece, as principais linhas de força de O Eixo e a Árvore: notas sobre a sacralização do território arrábido, de Ruy Ventura, mormente a demonstração da centralidade espiritual de Sesimbra na região, e exortou o seu autor a que prossiga e aprofunde o notável trabalho de investigação que vem realizando. Foi essa, de resto, a garantia dada por Ventura, que sublinhou o facto de o dia de ontem ser a data do aniversário de Frei Agostinho da Cruz, e também aquela em que também se completaram 480 anos sobre o aparecimento lendário da imagem do Senhor Jesus das Chagas, e véspera da grandiosa procissão que em sua honra percorreu hoje as ruas de Sesimbra. A observação etnológica deste culto, de uma vitalidade impressionante, foi de resto determinante para a sustentação da tese da axialidade do vale de Sesimbra, sendo irrefutável a suserania centrípeta que as Chagas exercem sobre os demais círios e confrarias da região, da Senhora do Cabo, no Espichel, ao Senhor do Bonfim, de Setúbal. Ventura afirmou sentir-se sesimbrense, e grato para com Sesimbra, apesar de residir em Azeitão -- ou por isso mesmo, por considerar que Azeitão e Arrábida, à margem dos acidentes histórico-administrativos, são incindíveis de um teritório cujo cabeça, no plano espiritual, é a camonina Piscosa."

[Na mesma sessão foi apresentado o livro "Agostinho da Silva em Sesimbra", de António Reis Marques e Pedro Martins, editado pelo Centro de Estudos Bocageanos, de Setúbal.]